Magazine Luiza - Vem ser feliz! Relações com Investidores
INSTITUCIONAL MAGAZINELUIZA.com
    • Crescimento da receita bruta consolidada de 20,0% alcançando R$2,9 bilhões no 4T13 impulsionada pelos seguintes fatores: (i) vendas mesmas lojas de 19,0% (16,0% mesmas lojas físicas, com destaque para o desempenho das lojas recém-integradas e das lojas virtuais que cresceram acima da média da Companhia no trimestre) e (ii) crescimento de 39,3% do e-commerce. Este crescimento foi obtido mesmo considerando uma alta base de comparação em relação ao 4T12 (10,2% e 25,0% no conceito mesmas lojas físicas e e-commerce, respectivamente). Merecem destaque as vendas de produtos de tecnologia (especialmente smarthphones) que cresceram 50% em 2013 em relação a 2012, elevando sua participação no mix de vendas da Companhia para 30% em 2013, versus 23% em 2012. No ano de 2013, as vendas brutas cresceram 14,6%, totalizando aproximadamente R$10 bilhões, reflexo de um crescimento no conceito mesmas lojas de 12,9% e de ganhos de produtividade em todos os seus canais de vendas, com maior assertividade na política comercial aliada a um aumento de contribuição das lojas recém-integradas (Maia e Baú). O número de lojas ao final de 2013 foi de 744, basicamente estável em relação a 2012 (abertura de 17 novas lojas e fechamento de 16 lojas).
     
    • Aumento da margem bruta no 4T13, mesmo com forte desempenho do e-commerce: em bases comparáveis, excluindo o efeito da reclassificação contábil do INSS (de 0,8 ponto percentual no trimestre), a margem bruta consolidada do 4T13 apresentou um aumento de 0,2 ponto percentual frente ao 4T12, para 28,2% da receita líquida. Em 2013, em bases comparáveis, a margem bruta foi de 28,6% versus 28,4% em 2012. Este aumento reflete alguns fatores: (i) a evolução da margem bruta das lojas do Nordeste e (ii) o projeto de gestão de preços que visa maior competitividade de preços. Incluindo o efeito da reclassificação contábil do INSS, a margem bruta foi de 27,4% no trimestre e 28,0% no ano.
     
    • Melhor alavancagem operacional, com significativa redução de despesas de vendas, gerais e administrativas: desconsiderando o efeito do PLR, no 4T13 as despesas com vendas, gerais e administrativas foram 21,9% da receita líquida, versus 24,9% no 4T12, redução de 3,0 pontos percentuais. As despesas também foram beneficiadas pelo efeito da reclassificação contábil do INSS (de 0,9 ponto percentual no período). No ano de 2013, as despesas com vendas, gerais e administrativas (sem o efeito do PLR) cresceram apenas 6,7% comparado a um crescimento de vendas brutas de 14,6%, o que explica a melhor alavancagem operacional.
     
    • EBITDA ajustado evoluiu 56,1% para R$131,8 milhões, com margem de 5,3% no 4T13 (6,2% sem o PLR): Sem o PLR, o EBITDA teria alcançado R$154,5 milhões, equivalente a um crescimento de 83,0% versus 4T12 e margem de 6,2% no 4T13. Em 2013, o EBITDA ajustado cresceu 37,8% para R$411,6 milhões, margem de 5,1% (sem o PLR, margem seria de 5,4%).
     
    • Desempenho recorde da Luizacred: diversas iniciativas adotadas ao longo de 2013 explicam o bom desempenho da Luizacred no ano de 2013, entre as quais destacamos: (i) melhor mix entre as vendas efetuadas pelo crediário (CDC) e pelo Cartão Luiza, (ii) aumento das vendas de produtos ligados a crédito na base de clientes, (iii) aumento da penetração de serviços financeiros, tais como serviço de mensagens de texto (SMS) para os clientes, (iv) aumento de produtividade e índice de eficiência, e (v) melhora nos indicadores de inadimplência, com destaque para a redução na provisão para devedores duvidosos de 4,0% sobre a carteira no 4T12 para 3,4% no 4T13. A combinação destes fatores explica o aumento da margem EBITDA para um nível recorde de 15,4% no 4T13 (12,0% no 4T12). O lucro líquido da Luizacred foi de R$34,1 milhões no 4T13, o que equivale a uma rentabilidade (ROE) de 32,4% anualizada. Em 2013, a Luizacred atingiu um lucro líquido de R$89,2 milhões, uma rentabilidade média de 22,0%. 
     
    • Lucro líquido recorde de R$48,0 milhões (sem o PLR) no 4T13, margem de 1,9%: o lucro líquido com o PLR foi de R$33,0 milhões, com margem líquida de 1,3%. Em 2013, o resultado final passou de um prejuízo de R$6,7 milhões para um lucro de R$113,8 milhões (margem de 1,4%). O lucro líquido ajustado totalizou R$70,7 milhões (margem de 0,9%) e sem o efeito do PLR atingiu R$85,7 milhões (margem de 1,1%).
     

    CADASTRE-SE Cadastre-se para receber nossos informativos sobre Relacionamento com Investidores

    youtube blog da Lu compartilhe
    Magazine Luiza © 2014 . Todos os direitos reservados. Política de Privacidade | Termos e Condições