2T11

2T11

DESTAQUES 2T11

Crescimento de Vendas - No período, o Magazine Luiza obteve faturamento bruto consolidado de R$1,74 bilhão, com crescimento de 38,2%, mesmo com uma forte base de comparação, por conta da Copa do Mundo no 2T10. A Companhia conseguiu crescer 14,4% com base nas mesmas lojas (sem considerar a linha de imagem, o crescimento das demais categorias de produtos foi de 23,5%). No 1S11, o crescimento de vendas mesmas lojas também foi muito expressivo, alcançando 19,7%.

Evolução da Internet - Com sua estratégia multicanal, o Magazine Luiza continua investindo na internet e ganhando participação de mercado. As vendas pela internet cresceram 39,9% no 2T11. O site do Magazine Luiza (www.magazineluiza.com.br) merece destaque também pela conquista da 2ª posição no ranking de sites mais visitados da categoria, de acordo com o relatório Hitwise da Serasa Experian, que mede o share de visitas.

Lojas Maia - A receita bruta da Lojas Maia cresceu 63,9%, alcançando R$237,4 milhões e margem EBITDA superior a 5% da receita líquida. A Companhia iniciou, no 2T11, o processo de reforma das lojas do Nordeste, começando por Pernambuco. A Lojas Maia alcançou os níveis de rentabilidade (EBITDA) do Magazine Luiza já no primeiro ano de operação.

Expansão Orgânica e Aquisições - No 2T11, a Companhia inaugurou organicamente 9 lojas, sendo 4 na Grande São Paulo e 2 no Nordeste. Além disso, em jun/11, o Magazine Luiza anunciou a aquisição das Lojas do Baú, reforçando sua estratégia de consolidação nos mercados de atuação e expansão das lojas virtuais. Com essa aquisição, a Companhia acelerou seu plano de investimentos, tendo em vista as oportunidades de mercado e a consolidação do setor.

Crescimento da Luizacred - O Cartão Luiza continua crescendo significativamente, mesmo com uma taxa de aprovação conservadora, de acordo com as políticas de crédito do Itaú Unibanco. A base de cartões alcançou 4,0 milhões e os indicadores de atraso da carteira da Luizacred apontam para uma melhora na inadimplência do 2T11 em relação ao 2T10. Merece destaque também a penetração do Cartão Luiza nas vendas da Lojas Maia que já alcançou 28% no 2T11.

Estrutura de Capital - O valor total do IPO foi de R$886,4 milhões, sendo R$583,9 milhões na distribuição primária e R$302,5 milhões na distribuição secundária. O aumento de capital, líquido das despesas da Oferta, totalizou R$563,5 milhões. Em jun/11, o Magazine Luiza tinha empréstimos e financiamentos no valor de R$857,3 milhões, caixa e aplicações financeiras no valor de R$728,2 milhões, perfazendo uma dívida líquida de R$129,1 milhões, equivalente a 0,4 vezes o EBITDA dos últimos 12 meses.

Resultados - No 2T11, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) do varejo cresceu de R$62,0 milhões para R$69,4 milhões, uma evolução de 12,0%. Esse crescimento foi obtido mesmo considerando as reformas das lojas do Nordeste e as despesas administrativas com o escritório de São Paulo (a partir de set/10), além da forte base de comparação com o 2T10. As despesas financeiras refletiram o aumento do CDI e o investimento na aquisição da Lojas Maia (aproximadamente R$250 milhões, lembrando que os resultados apresentados pela Lojas Maia estão acima das nossas expectativas), mas ainda não refletiram todo o benefício da Oferta Primária de Ações, finalizada em jun/11. Mesmo assim, a Companhia obteve um lucro líquido de R$4,6 milhões no 2T11 e R$16,9 milhões no 1S11.

 

Magazine Luiza © 2016.

Todos os direitos reservados.